Coisas de Emigrante: Educar – quando a diferença faz toda a diferença
Coisas de Emigrante / Sociedade

Coisas de Emigrante: Educar – quando a diferença faz toda a diferença

Por Gisela de Almeida, em França Agora que sou mãe de duas crianças e que a mais velha entra este ano para a escola, dei comigo a pensar se teria educado os meus filhos de maneira diferente se tivesse ficado em Portugal. A educação é algo que sempre me interessou e educar uma criança, apesar de poder ser um pouco “planeado”, acontece … Continuar a ler

Coisas de Emigrante: Clichés
Coisas de Emigrante

Coisas de Emigrante: Clichés

Por Gisela de Almeida, em França Há várias ideias preconcebidas sobre os franceses: comem imensas pernas de rã, têm o nariz grande, lavam-se pouco, as mulheres não depilam as axilas, andam sempre de baguete debaixo do braço, são chauvinistas, so falam o seu idioma, são românticos. Ao fim de sete anos e meio em França constato o seguinte: Alguns destes estereótipos derivam … Continuar a ler

Coisas de Emigrante: Liberdades
Coisas de Emigrante / Sociedade

Coisas de Emigrante: Liberdades

Por Gisela de Almeida, em França No final de Novembro oiço na rádio François Hollande dizer “Não iremos ceder nem ao medo nem ao ódio”. Será que não? Não vivo propriamente tranquila desde dos atentados de Paris, a 13 de Novembro, apesar de estar longe da capital. Nas redes sociais assisti em silêncio a todo o tipo de comentários: aqueles que sem qualquer … Continuar a ler

Coisas de Emigrante: Verão quente
Coisas de Emigrante / Sociedade

Coisas de Emigrante: Verão quente

Por Gisela de Almeida, em França Falar do tempo que faz é a conversa habitual enquanto esperamos na fila do supermercado ou quando encontramos um vizinho. Este ano no entanto, com estranhos ou conhecidos, a conversa gira inevitavelmente em torno da meteorologia. Em Julho do ano passado Annecy foi banhada por 27 dias de chuva e uma temperatura média de 18°C, por isso … Continuar a ler

Coisas de Emigrante: Os franceses são gourmet
Coisas de Emigrante / Sociedade

Coisas de Emigrante: Os franceses são gourmet

Por Gisela de Almeida, Os franceses são gourmet, é uma evidência. Orgulhosos dos seus produtos e da sua reputada gastronomia, estão bem posicionados para se considerarem uns ases quando chega a hora de activar as papilas gustativas. E quando essa hora chega, as normas europeias caem no esquecimento. Na minha rua há um mercado ao ar livre todas as quartas-feiras, faça chuva, sol … Continuar a ler

Pardon, esqueci-me como se diz
Coisas de Emigrante / Sociedade

Pardon, esqueci-me como se diz

Por Gisela de Almeida, em França Tenho a sorte de trabalhar numa empresa onde a multiculturalidade é um valor essencial; entre os cerca de 40 funcionários falam-se 15 línguas diferentes. No meu dia-a-dia profissional oiço e falo várias línguas e talvez seja o único lugar onde posso falar português à vontade sem que as pessoas fiquem a olhar para mim como se fosse uma … Continuar a ler

Comparações…
Coisas de Emigrante / Sociedade

Comparações…

Por Gisela de Almeida, em França Há dias em conversa com um colega de trabalho francês, que viveu muitos anos em Espanha, começámos a fazer comparações entre o modo de vida das pessoas na Península Ibérica e em França. Entre alguns estereótipos e considerações baseadas na experiência pessoal de cada um, a conversa foi mais ou menos assim: Os espanhóis são … Continuar a ler

Raízes
Coisas de Emigrante / Sociedade

Raízes

Por Gisela de Almeida, em França Quando deixamos o nosso país para viver noutro, não nos sentimos imediatamente como na nossa casa. No princípio tudo é estranho, mas muitas vezes o entusiasmo inicial é tão forte que ajuda a contrariar o desconforto de se ser um estranho de passagem. Com o passar do tempo, vai-se ficando mais à vontade (com a … Continuar a ler

Doutorite Aguda
Coisas de Emigrante / Sociedade

Doutorite Aguda

Por Gisela de Almeida, em França Uma das coisas mais difíceis de explicar quando se vive no estrangeiro é porque é que em Portugal há tantos «doutores».  Noutros países, apenas os médicos ou detentores de um doutoramento têm direito ao título, mas em Portugal “democratizou-se” a coisa e assim temos doutores-professores, doutores-arqueólogos, doutores-psicólogos, doutores-advogados, enfim, … Continuar a ler