Jovializar por aí

Jovializar Por Aí: O Natal

O Natal é uma quadra singular. As árvores, os presentes, a família reunida, tudo isso nos encanta durante a época natalícia e esta é esperada com ansiedade, algum fervor especialmente pelas crianças, pelos jovens, talvez por todos… É neste período natalício que a família se reúne («Como a família é verdade!», Fernando Pessoa), partilhando refeições típicas desta quadra e, … Continuar a ler

Local

Bairro das Flores vai ser requalificado com investimento de 2 ME

O espaço público do Bairro das Flores, em Vila Nova de Santo André, vai ser requalificado em breve com um investimento de dois milhões de euros, um projeto promovido pela Câmara Municipal de Santiago do Cacém. O contrato de adjudicação da obra já foi assinado. O contrato para a empreitada “Requalificação de Espaço Público no Bairro das … Continuar a ler

Presépios no Parque Central: Junta volta a desafiar coletividades da Freguesia
Local

Presépios no Parque Central: Junta volta a desafiar coletividades da Freguesia

A Junta de Freguesia de Santo André pretende, neste Natal, voltar a dinamizar, de forma especial, o Parque Central da Cidade. Para o efeito, a Junta decidiu lançar novamente o desafio ao Movimento Associativo / Entidades locais, para a construção de presépios naquele espaço. Os objetivos passam por incrementar o espírito natalício local, divulgar as Coletividades … Continuar a ler

Sócios elegem Comissão Administrativa Provisória do Carnaval
Local / Sociedade

Sócios elegem Comissão Administrativa Provisória do Carnaval

Mais de uma centena de pessoas participaram na assembleia-geral extraordinária para eleger a nova comissão administrativa que vai gerir o Carnaval de Sines durante os próximos seis meses. Mais de vinte sócios da associação ‘Siga a Festa’ votaram, na passada sexta-feira, 03 de novembro, a destituição da atual direção e aprovaram, durante uma sessão da assembleia-geral extraordinária, … Continuar a ler

Jovializar por aí

Jovializar por Aí: O que é felicidade? (Carta a Fernando Pessoa)

Estimado Fernando Pessoa, Acreditaria se lhe dissesse que a sua vasta obra estaria a ser estudada mais de setenta anos após a sua morte? Decerto que sim, e decerto também que isso não contribuiria minimamente para a sua felicidade. Tenho ideia de que foi um homem frustrado, infeliz, inerte, excessivamente racional e insensível, que acabou … Continuar a ler