Política

Santo André Acessibilidades e apoio social no debate dos candidatos à Junta de Freguesia

A Rádio Cidade Nova (RCN) realizou no passado dia 16 um debate radiofónico com os candidatos à Junta de Freguesia de Vila Nova de Santo André.

Estiveram presentes Nuno Ferreira pelo Partido Socialista (PS), Isa Coelho pela coligação PSD/CDS, David Gorgulho pela coligação CDU e Rosa Maria pelo Bloco de Esquerda (BE). Os candidatos intervieram pela ordem referida, após a realização de um sorteio entre os participantes.

A sessão foi estruturada a partir de três questões previamente definidas pela equipa da RCN:

Questão 1 – Conhecimento sobre o (a) candidato (a)
Aqui era solicitado a cada candidato a menção do principal atributo que deve ter um líder, as principais motivações para a sua candidatura e qual o posicionamento futuro a adotar no relacionamento com o executivo que vier a ser eleito para a Câmara Municipal de Santiago do Cacém.

Questão 2 – Plano de resiliência
Face ao contexto pandémico que atravessamos e com a chegada de fundos da EU, como devem ser aplicados esses recursos e que áreas ou setores da Freguesia deverão ser intervencionados prioritariamente e como deverão ser organizados os serviços de proximidade com as populações.

Questão 3 – Descentralização e atribuição de competências
A próxima transferência de competências para as Freguesias, comporta a gestão e manutenção de espaços verdes; recintos e organização feiras e mercados; limpeza das vias e espaços públicos; manutenção, reparação e substituição do mobiliário urbano, utilização e ocupação da via pública; afixação de publicidade de natureza comercial e outras autorizações das várias atividades locais.
A questão colocada aos candidatos foi sobre a forma como se dimensionará a Freguesia para receber essas estruturas sabendo-se que é o maior aglomerado populacional do Concelho de Santiago do Cacém.Em relação à questão nº 1 e após a apresentação individual de cada um dos candidatos verificou-se uma unanimidade de posições sobre o relacionamento futuro com a Autarquia da sede do Concelho – relacionamento que para além de cordial deverá ter características institucionais e democráticas.
Na abordagem feita à questão nº 2 registámos:

Nuno Ferreira (PS) – Começou por apontar o associativismo existente em Santo André como um caminho a ser seguido e acarinhado para se conseguir um real aproveitamento na aplicação dos fundos provenientes do Plano de Resiliência e citou as carências turísticas da Freguesia que terão nessas verbas uma ótima hipótese para a revitalização do setor.

Isa Coelho (PSD/CDS) – Na sua intervenção a candidata referiu que as verbas oriundas da EU deveriam ser aplicadas prioritariamente na criação de um centro cultural e desportivo mais abrangente, num lar para a terceira idade, dar um impulso à área do turismo com o desenvolvimento das praias da costa no que diz respeito a infraestruturas e acessos e um impulso nos transportes urbanos com o recurso a um autocarro elétrico para ajudar a população mais carenciada. Igualmente garantiu o apoio aos clubes e organizações associativas existentes.

David Gorgulho (CDU) – No início da sua intervenção chamos a atenção que as verbas que a EU atribuir a St. André não contemplarão todos os setores de atividade. Apontou a sua prioridade à modernização do espaço público citadino e rural que tem à cabeça a situação atual da cidade que está dividida em duas partes por um erro urbanístico de conceção. Referiu igualmente a modernização dos espaços de saúde existentes visando uma melhor resposta às necessidades. Referiu a implantação de uma política de proximidade com as populações como vem sendo seguida pela atual Junta de Freguesia.

Rosa Maria (BE) – Iniciou a sua intervenção fazendo votos para que as verbas venham e ajudem a auxiliar as pessoas mais carenciadas da Freguesia e que viram a sua situação agravada com a pandemia do Covid. Chamou a atenção para a necessidade de novas políticas habitacionais dado que St. André não tem habitações condignas e disponíveis para se desenvolver, mostrando opinião sobre o apoio a novas cooperativas de construção. Igualmente referiu o apoio que deverá ser dado às instituições que hoje providenciam a ajudar alimentar na Freguesia.

Os moderadores do debate introduziram a questão nº 3, que mereceu da parte dos candidatos as seguintes posições:

Nuno Ferreira (PS) – o candidato realçou a manutenção dos espaços verdes como a mais importante transferência que irá ter lugar, transferência essa que terá de vir acompanhada dos recursos humanos e financeiros indispensáveis ao seu cabal desempenho. Realçou que estas transferências de competências previstas, deveriam ter sido efetuadas ao longo destes últimos anos mas por oposição da Autarquia elas terão de ser forçosamente efetuadas num curto espaço de tempo com todos os inconvenientes que daí advêm.

Isa Coelho (PSD/CDS) – A candidata referiu que as competências a serem transferidas já são desempenhadas pela Junta de Freguesia por delegação camarária de funções. Gostaria de ver transferidas as competências relacionadas com a fixação de pessoal médico e de enfermagem e a restruturação do Centro de Saúde. Gostaria igualmente de ver atribuídas à Junta o apoio social às pessoas idosas.
David Gorgulho (CDU) – O candidato começou por referir que sendo St André a localidade em todo o Alentejo com maior número de hectares de relva tratada, talvez tenha de surgir uma transferência não na sua totalidade, mas talvez deva de ser encontrada uma outra solução em que a Autarquia Central também participe. Referiu que igualmente terá de ser considerado toda a manutenção do espaço público. Todas estas situações levarão a que a curto prazo a JF venha a ter o triplo do pessoal para fazer face a essas necessidades.

Rosa Maria (BE) – Na opinião da candidata deverá primeiramente ser avaliada a real extensão das transferências e o quando elas se darão. Só com essas premissas se poderão delinear planos para a adequação da estrutura de serviços prestados pela JF. Referiu que o Parque Central necessita de uma intervenção mais musculada ao nível da plantação de mais árvores, e colocação dispositivos de sombra junto das mesas. O mobiliário urbano existente na Freguesia está a necessitar de uma intervenção de requalificação urgente. Igualmente referiu o parque habitacional devoluto como intervenção prioritária no âmbito das novas competências.

Não tendo existido o exercício do contraditório por parte dos candidatos, a organização do debate permitiu a pronuncia por parte dos candidatos de certas adendas ao que haviam proferido mas que se revelaram devidamente enquadradas no fundamental das questões postas inicialmente.
Quanto à organização do debate, em direto e presencial, obrigou a uma logística diferente motivada pelo fator pandémico existente o que levou a um aumento da equipa de produção e a um desdobramento funcional pelas exíguas instalações existentes. Assim e para que conste este tempo de emissão da RCN contou com a participação de Zélia Bordalo, radialista, José Claro jornalista, António Carlos Coimbra que assegurou toda a estrutura do som e Nádia Rosa como assistente de produção.

Partilhe a sua opinião connosco

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.