Editorial

Editorial: Sim, mas não obrigado

Neste período de desconfinamento muita coisa vai acontecendo. Todos estamos atentos e criticamos aquelas atitudes daqueles que pensam que afinal isto não é nada e já passou. O que importa agora é fazer férias.

É tempo de verão, já não existe vírus nenhum. Eu tenho de gozar as minhas férias: tenho direito a elas. Ninguém me pode impedir de fazer o que mereço. Então vou juntar um grupo de amigos, aí uns 100 ou 200… ou mais, e vou organizar uma festa privada. Coisa que em tempo normal e de outros anos podemos fazer e não existe nada que me proíba; desde que cumpra a lei.

Isso mesmo, aqui é que está a questão: desde que cumpra a lei. Sempre foi pedido isto: que se cumpram as leis em vigor no país onde estou a fazer a festa. Então se antes cumpríamos a lei, porque não cumprimos hoje? É tão difícil cumprir a lei agora? É tão difícil entender que não podemos fazer festas com um número superior aquele que está estipulado pela lei!?!

Artigo completo disponível na edição em papel de 09 de Julho de 2020, n.º 765

Partilhe a sua opinião connosco

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.