Sociedade

Alunos aderem à greve estudantil contra alterações climáticas

A Escola Secundária Manuel da Fonseca, em Santiago do Cacém, aderiu à greve estudantil mundial, do passado dia 15 de março, para exigir dos políticos ações concretas contra as alterações climáticas.

Perto de 80 alunos da Escola Secundária Manuel da Fonseca, em Santiago do Cacém, aderiram à greve estudantil mundial que teve como lema ‘fazer greve por um clima seguro’ e culmina uma série de manifestações semanais que tiveram início no ano passado pela sueca Greta Thunberg, 16 anos, nomeada para o prémio Nobel da paz.

Os alunos concentraram-se, numa “manifestação pacífica”, no recinto escolar para alertar para o problema das alterações climáticas, explicou ao jornal “O Leme” Madalena Tomé, uma das jovens dinamizadoras desta ação.

Artigo completo disponível na edição em papel de 21 de Março de 2019, n.º 735

Partilhe a sua opinião connosco

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.