Política

Opinião: Regionalizar é preciso

Por Francisco do Ó Pacheco,

Vinte anos depois do referendo de 1998 sobre a regionalização administrativa do continente, e que recordo não ter tido eficácia legal uma vez que o número de votantes não atingiu os 50%, lembro também que na região Alentejo venceu então o “SIM” à regionalização e o “SIM” à região administrativa do Alentejo.

Não vale a pena atualmente lamentar que o referendo não deveria ter ocorrido, uma vez que é a própria constituição da república que o determina, porque são águas passadas. Durante estes vinte anos vários governos foram inventando formas de regionalizar, quer através das associações de municípios, quer através das comunidades urbanas, quer ainda através das comunidades intermunicipais.

Artigo completo disponível na edição em papel de 12 de julho de 2018, n.º 719

Anúncios

Partilhe a sua opinião connosco

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.