Sociedade

Faltam mais de 60 de enfermeiros no Litoral Alentejano

Faltam 64 enfermeiros na Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA), situação que a administração  prevê agravar-se durante o ano, mas que diz só poder resolver quando o Governo aprovar o aumento do mapa de pessoal, que afirma estar desadequado às atuais necessidades.

A Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano está a funcionar com recursos humanos a menos. Além dos enfermeiros, faltam médicos, especialistas, administrativos, assistentes técnicos e assistentes operacionais.

Em outubro do ano passado, as camas disponíveis na Unidade de Convalescença foram reduzidas de 25 para 12 e a Unidade de Cuidados Paliativos foi deslocada dentro do Hospital do Litoral Alentejano (HLA), precisamente por falta de recursos humanos.

O presidente do Conselho de Administração da ULSLA, Luís Matias, aponta a necessidade atual de um acréscimo de 64 enfermeiros ao mapa de pessoal, número que estima aumentar para 90, com a passagem da carga horária
semanal de 40 para 35 horas, a partir de julho.

Artigo completo disponível na edição em papel de 22 de fevereiro de 2018, n.º 710

Anúncios

Partilhe a sua opinião connosco

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.