Autárquicas 2017 / Política

Requalificação urbana, desenvolvimento económico e perda de serviços debatidos em Alvalade

Os candidatos da CDU, PS e coligação PSD/CDS-PP à Assembleia de Freguesia de Alvalade debateram temas como a requalificação urbana, o desenvolvimento económico, o emprego e a habitação, no encontro promovido pela Rádio Miróbriga e pelo jornal O Leme, no âmbito da ‘Operação Autárquicas 2017’.

O debate, que decorreu no pátio exterior da Casa do Povo de Alvalade, no dia 13 de setembro, contou com a participação dos três candidatos: Mónica Aguiar, pela CDU, Ricardo Cruz, pelo PS, e José Carvalho, pela coligação PSD/CDS-PP.

O debate começou com a apresentação das propostas de cada candidato para a freguesia de Alvalade.

Mónica Aguiar, cabeça de lista da CDU, diz que vai dar prioridade à requalificação urbana na vila de Alvalade, com um investimento superior a meio milhão de euros.

Mónica Aguiar (CDU), 40 anos, é licenciada em direito, é chefe de gabinete de apoio à presidência da Câmara Municipal de Santiago do Cacém desde 2013, concorre como independente.

“Estamos na praça D. Manuel I, temos em frente o Museu de Arqueologia de Alvalade e temos neste seguimento um eixo importante a nossa vila, que é o nosso centro histórico, a Rua Duque da Terceira e a Rua 31 de Maio de 1834. Estas vias serão alvo de uma grande intervenção, nós já temos um pacote financeiro garantido para fazer esta intervenção que ascende a mais de meio milhão de euros”, disse Mónica Aguiar. A candidata da CDU acrescentou ainda que, além destas três ruas “também será intervencionado nesta ação o Largo da Igreja”. A intenção é fazer “uma intervenção de fundo”, que inclui  o “subsolo” e infraestruturas “como a rede de águas, drenagem de águas pluviais e rede de esgotos”. Além disso, a candidata da CDU prometeu também “melhorar” jardins e espaços verdes na vila. Mónica Aguiar aproveitou ainda para apresentar outras propostas, como a intenção de desenvolver parcerias para valorizar o património histórico da freguesia e nas áreas desportiva e cultural, manter a aposta no campo de férias de Alvalade.

Ricardo Cruz, candidato do Partido Socialista (PS), elegeu a limpeza urbana e os espaços públicos como a maior preocupação de Alvalade.

Ricardo Cruz (PS), 37 anos, é encarregado de profissão, candidata-se pela primeira vez à Junta de Freguesia, concorre como independente.

“Os espaços públicos, de há uns anos para cá, praticamente quando há a feira medieval há uma grande intervenção, uma tentativa de melhorar alguns desses espaços. As entradas da vila, a rotunda principal da vila também nos preocupa muito, bem como a limpeza urbana”, apontou. Ricardo Cruz indicou ainda ter como preocupação áreas como a ação social, a juventude, o desporto, a economia e o ambiente, defendendo o “turismo” como um setor económico com potencial para ser desenvolvido na freguesia.

Já o candidato da coligação PSD/CDS-PP, José Carvalho, quer colocar Alvalade-Sado “na moda”, com a promoção de eventos e dinamizar a freguesia em áreas como a educação.

José Carvalho (PSD/CDS-PP), 48 anos, professor do ensino básico, concorre pela primeira vez, é militante do CDS-PP.

“Ao nível da educação retomar aqui o 12.º ano, o ensino secundário, criar uma valência do centro de formação profissional, criar um ponto público de internet”, disse José Carvalho, que deixou por mencionar nesta ronda o restante programa da candidatura da coligação PSD/CDS-PP para Alvalade.

Serviços públicos

A freguesia de Alvalade tem uma população de mais de dois mil habitantes, contando ainda com alguma população jovem. Tem sido uma freguesia dinâmica no interior do concelho de Santiago do Cacém, em que existem algumas respostas sociais tanto para os mais novos como para os idosos. No entanto, tem sido vítima do afastamento de serviços essenciais para a população, como o fim do comboio regional ou o encerramento da estação dos CTT, que passou o serviço para um estabelecimento comercial.

Para Ricardo Cruz (PS), a situação “é algo preocupante”, especialmente no que que diz respeito ao “comboio”. Apesar de existir comboio nas Ermidas, a poucos quilómetros de Alvalade, não há “transporte para as Ermidas”, lamentou o candidato. O caso dos CTT também é apontado por Ricardo Cruz como “preocupante”. No entanto o candidato considera que são situações que estão fora do poder de decisão das autarquias, restando “lutar” contra esse tipo de medidas com “ofícios e protestos”.

 Já José Carvalho (PSD/CDS-PP) defendeu que o encerramento de serviços pode ser contrariado com a fixação de habitantes. “Contraria-se [o encerramento de serviços] não deixando as pessoas abalar de Alvalade, temos que ter pessoas”, disse.  “A cada dia abalam pessoas de Alvalade e nós sem pessoas não conseguimos reivindicar nada”, argumentou, propondo para isso “distinguir Alvalade”, colocando a freguesia “na moda”, nomeadamente com a promoção de eventos. “Nós temos para Alvalade um evento que vai colocar Alvalade e nível da Europa e do mundo”, garantiu, recusando-se a divulgar de que se trata.

Mónica Aguiar (CDU) recordou que a Junta de Freguesia de Alvalade, gerida pela força política que representa, lutou pela manutenção dos serviços e promete continuar a fazê-lo.

“O encerramento [da estação] dos CTT e dos comboios foi um período dificil para nós, não aceitámos, lutámos, reivindicámos. Para nós isto não é uma batalha perdida. Até porque a situação do país atualmente é diferente e nós queremos voltar a reivindicar a paragem dos comboios aqui na nossa terra”, defendeu a candidata.

Emprego e Desenvolvimento Económico

À semelhança dos debates anteriores, O Leme e a Rádio Miróbriga estiveram na freguesia de Alvalade nos dias que antecederam o debate, onde recolheram depoimentos anónimos de residentes que aceitaram falar. Dos depoismentos recolhidos, destacou-se a preocupação com a falta de emprego, as reformas e ordenados baixos e com as pessoas que têm que se deslocar para fora da freguesia para trabalhar.

José Carvalho (PSD/CDS-PP) começou por tecer críticas à atual gestão CDU, apontando a necessidade de criar “políticas de atração de investimento”, como “facilitar a compra de terrenos por parte de empresas” ou baixar o IMI. “Alvalade precisa disto como do pão para a boca”, disse.

A candidata da CDU, Mónica Aguiar, aproveitou para responder ao adversário político, argumentando ter havido este ano “uma redução de IMI” por parte da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, bem como a isenção da derrama para empresas com faturação inferior a 150 mil euros.“Estes são incentivos reais, para a fixação de pessoas e de empresas”, defendeu. Mónica Aguiar destacou que nos últimos anos o “tecido empresarial” local tem sido “muito ativo e muito dinâmico”, ao mesmo tempo que a autarquia promove e apoia eventos, como “o festival do tomate”, que contribuem “para a dinâmica e dinamização do setor económico”.

Para Ricardo Cruz (PS) para potenciar o desenvolvimento económico e criar emprego é preciso “um trabalho conjunto” da Junta de Freguesia com a Câmara Municipal.

Requalificação Urbana

Entre os depoimentos recolhidos das ruas de Alvalade, a necessidade de requalificar espaços públicos e de criar mais condições de segurança foram também mencionados pelas pessoas que aceitaram falar com O Leme e a Rádio Miróbriga.

Se para Ricardo Cruz (PS) a mobilidade devia ser o foco na melhoria no espaço público, para

José Carvalho (PSD/CDS-PP) é a segurança e o saneamento que são prioritários. O candidato da coligação PSD/CDS-PP propõe melhorias nas localidades de Alvalade e da Mimosa, com a qualificação de “acessos e passadiços”, por exemplo.

Mónica Aguiar (CDU), que já tinha destacado nas principais propostas do programa eleitoral intervenções de regeneração urbana, aproveitou para lembrar o trabalho que já foi feito pela autarquia nos últimos 12 anos. “Tem sido feita uma grande obra de requalificação dos arruamentos da nossa vila, temos uma Zona de Expansão totalmente infraestruturada, faltam de facto ali uns remates finais, mas estamos a falar de uma área de 4 hectares onde a intervenção abrangiu 21 mil metros quadrados, e não estamos só a falar da colocação de betuminoso, estamos a falar dos passeios e de toda a infraestruturação que está por baixo, rede de esgotos, rede de água, etc”, disse a candidata. Além disso, fez questão de destacar, no último mandato, “houve uma grande intervenção na Rua Catarina Eufémia, nas suas seis transversais, na Rua da Areia, na Rua Capitães de Abril e na Rua da Juventude”.

Todos os debates foram transmitidos em direto pela Rádio Miróbriga, com posterior publicação escrita do resumo do encontro na edição online do jornal O Leme. O calendário de debates pode ser consultado aqui.

O debate pode também ser ouvido na íntegra aqui.

Outros debates:

» Entrevista ao único candidato à AF Abela » Ler ou Ouvir

» Debate com candidatos à AF Alvalade » Ler ou Ouvir

» Debate com candidatos à AF Cercal do Alentejo » Ler ou Ouvir

» Debate com candidatos à AF Ermidas-Sado » Ler ou Ouvir

» Debate com candidatos à AF Santo André » Ler ou Ouvir

» Debate com candidatos à AF São Domingos e Vale de Água » Ler ou Ouvir

» Debate com candidatos à AF São Francisco da Serra » Ler ou Ouvir

» Debate com candidatos à AF Santiago do Cacém, São Bartolomeu da Serra e Santa Cruz » Ler ou Ouvir

» Debate com candidatos à CM Santiago do Cacém » Ler ou Ouvir

Anúncios

Partilhe a sua opinião connosco

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s