Opinião

Opinião: Religião, espiritualidade e saúde

Por Joaquim Marques,

A relação entre a prática Religiosa, a Psicologia e a Saúde é estudada hoje, a nível universitário, não apenas nos Cursos de Teologia, mas também nos cursos de Psicologia, Medicina (particularmente na área das Neurociências), Ciências Sociais e outros.

Nos finais do século XIX e início do século XX os estudos sobre as doenças mentais levaram alguns autores a considerar a prática religiosa como promotora dessas doenças. Freud, por exemplo, nunca encontrou na religião nada de bom e considerou o fenómeno religioso como patológico ao defini-lo como neurose obsessiva. No último quartel do século XX foi retomado o tema por muitos estudiosos tendo sido realizados milhares de estudos académicos sobre a relação entre religiosidade, espiritualidade e saúde.

A visão da psicanálise sobre os efeitos da prática religiosa acabou por ter um efeito positivo sobre o estudo da religião, na medida em que obrigou a uma atitude de autocrítica e a identificar os aspetos patológicos de determinados modos de viver a religião.

O artigo completo pode ser lido na edição em papel de 10 de agosto de 2017, n.º 698

Anúncios

Partilhe a sua opinião connosco

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s