Economia / Editorial / Opinião

Editorial: O que escondo eu na parede?

Abílio Raposo

Diretor

Por Abílio Raposo,

O meu avô Abílio, que já faleceu, contava-me que sonhava com um tesouro. E ele sabia exatamente onde ele se encontrava.

E eu mesmo cheguei a ser testemunha de como o que ele falava era verdade. Sonhava que debaixo de uma azinheira havia uma caixa com moedas. Mas ele não acreditou e foi deixando passar o tempo. Num determinado dia passou pelo local e realmente viu uma pequena caixa de madeira semienterrada no chão, debaixo daquela árvore com a qual tinha sonhado, mas já sem tampa e sem nada lá dentro.

Afinal alguém tinha lá enterrado o seu tesouro. E como esta história muitas outras ouvimos, como esconder o dinheiro na parede ou debaixo do colchão, enterrado no quintal ou no chão da casa.

Isto tudo me leva a pensar sobre o que fazemos nós às nossas poucas ou muitas economias. Sim! Como guardamos nós essas nossas poucas reservas?

O artigo completo pode ser lido na edição em papel de 23 de Março de 2017, n.º 689

Anúncios

Partilhe a sua opinião connosco

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s