Local / Sociedade

Opinião: Herbicidas em espaço público

João MadeiraPor João Madeira, professor e historiador

Há alguns dias, discutia-se nas redes sociais o facto de funcionários municipais estarem a aplicar herbicida numa zona central de santo André em pleno dia. Pouco tempo antes, em Melides, eu próprio me cruzei com funcionários, estes da Câmara de Grândola, na mesma actividade. E, por estes dias, também se protestava nas redes sociais por aplicação de pesticidas nas ruas de Alcácer do Sal.

Não creio que a situação se circunscreva a estes casos, longe disso. O uso de herbicidas para eliminar ervas daninhas em meio urbano é corrente. No caso de Santo André, os serviços municipais teriam esclarecido tratar-se de Arboral Star 45, cuja substância activa é o glifosato, comercializado com essa e muitas outras designações comerciais e com uma aplicação em larga escala também na agricultura.

Mas no último ano a controvérsia instalou-se a partir da própria Organização Mundial de Saúde, cuja agência especializada para a investigação sobre o cancro veio precisamente declarar o glifosato é um “carcinogénico provável para o ser humano”, que é o mesmo que dizer ser potencialmente cancerígeno, ainda que os estudos científicos não sejam até ao momento cabalmente conclusivos.

Vale a pena ler o artigo completo na edição em papel de 25 de janeiro de 2017, n.º 685

Anúncios

Partilhe a sua opinião connosco

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s