Coisas de Emigrante / Sociedade

Coisas de Emigrante: Educar – quando a diferença faz toda a diferença

Gisela de Almeida - Coisas de Emigrante

Gisela de Almeida

Por Gisela de Almeida, em França

Agora que sou mãe de duas crianças e que a mais velha entra este ano para a escola, dei comigo a pensar se teria educado os meus filhos de maneira diferente se tivesse ficado em Portugal.

A educação é algo que sempre me interessou e educar uma criança, apesar de poder ser um pouco “planeado”, acontece naturalmente enquanto vamos vivendo o quotidiano familiar e aprendendo a ser pais. A forma como educo está intimamente ligada não só às minhas escolhas e à minha história de vida, como também ao sítio onde vivo. E logicamente o facto de viver em França condicionou a minha visão da educação infantil e da parentalidade.

Aqui, a licença de maternidade dura uns escassos 4 meses: 1 mês e meio antes do nascimento e 2 meses e meio depois.

Fiquei com os cabelos em pé, deixar um bebé de 2 meses e meio numa creche ou numa ama? Impossível! Felizmente muitas empresas permitem que as mães fiquem em casa mais tempo e é possível ter uma licença prolongada, “remunerada” parcialmente pela caixa de abono familiar.

Artigo completo na edição em papel de 08 de setembro de 2016, n.º 676

Anúncios

Partilhe a sua opinião connosco

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s