Política

Precisam-se políticos!

Emérico GonçalvesPor Emérico Gonçalves,

Precisamos de políticos! Não economistas, juristas ou engenheiros que se façam de políticos. Não está em causa a formação académica de origem, mas ser-se político enquanto conceito substantivo.

A questão reporta-se à definição do conceito política, do grego politiké, que aponta para a governança das coisas da Polis, da coisa pública. Aristóteles defendia, aqui retratado a grosso modo, a política numa relação de poder entre quem governa e quem é governado, fazendo evidenciar a questão do interesse (inter–esse), a relação entre dois seres, de interdependência, de compromisso.

A política assim, enquanto praxis humana, aponta para o exercício de poder. E é aqui que se jogam as questões da prática política.

Sem querer ver aqui apresentada a complexidade da questão, lembremo-nos que o fim da política é o bem público, e não os interesses de segmentos da sociedade ou, ainda, como a política doméstica nos tem habituado, os dúbios interesses internacionais.

É que nos esquecemos que a política serve a sociedade civil, enquanto sociedade organizada. E esta, em última análise, resulta no conceito de Estado.

Artigo completo na edição em papel de 10  de setembro de 2015, n.º 653

Anúncios

Partilhe a sua opinião connosco

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s